Poucos compareceram ao primeiro dia de vacinação contra HPV


Poucos compareceram ao primeiro dia de vacinação contra HPV

Campanha para a segunda dose da vacina contra HPV Quadrivalente teve início na manhã de sábado passado, mas, segundo a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) poucas pessoas foram ao prédio do Nível Central da Sespa, localizado na rua Presidente Pernambuco, no bairro Batista Campos, em Belém, para receber a dose.
Todos os sábados, ao longo do mês de novembro, de 9h às 16h, será ministrada a vacina, o prédio servirá como posto de atendimento extra para a população de 15 a 26 anos que já tomou a primeira dose da vacina em setembro. Como a ação é exclusiva para esse público, é obrigatória a apresentação do cartão de vacinação, e tem por objetivo dar sequência ao esquema vacinal dos jovens, que é composto por três doses. A segunda e a terceira devem ser tomadas, respectivamente, dois e seis meses após a primeira. 
“A ideia de ter um posto extra aos sábados é possibilitar ao grupo de pessoas que estudam, trabalham e não podem ir durante a semana, tomar a dose da vacina sem ter que enfrentar tanta espera”, esclarece a coordenadora estadual de imunização, Jaíra Ataíde. “Começar a campanha da segunda dose logo no início de novembro foi uma estratégia, pois, as pessoas que tomaram a primeira no início de setembro, já estão com o tempo hábil para a segunda vacina”, completa. 
Durante a campanha realizada no mês de setembro, cerca de 3.000 pessoas compareceram ao posto da Batista Campos. A expectativa, de acordo com a diretora de Imunização, é que o mesmo número de pessoas procure o local, ao longo desse mês, para dar continuidade ao esquema vacinal. 
“Em todos os sábados do mês de novembro, nós vamos trabalhar com um suporte de 800 doses por dia. Durante a semana, postos de atendimento regular nos bairros da capital e em municípios do interior do Estado que efetuaram a primeira dose, também devem disponibilizar a vacina para o resto da população”, pontua.
Ainda segundo a coordenadora, em virtude da primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizada no domingo, já era esperada uma menor movimentação, principalmente por conta da faixa etária atingida pela ação. 
“Nesses dois primeiros sábados (o próximo no dia 11), nosso público alvo está voltado para o Enem. Assim, já esperávamos uma procura menor. Acreditamos, porém, que a partir da segunda quinzena de novembro, o movimento vai normalizar e a clientela que tomou a primeira dose venha tomar a segunda”, disse Jaíra Ataíde.
Mas nem a prova do Enem impediu que o estudante André Cardoso fosse ao posto buscar a imunização. “Eu preferi vir logo no primeiro dia porque, em setembro, deixei para a última hora e acabei tendo que enfrentar muita fila. Os próprios professores de biologia da escola reforçaram que a gente precisa garantir a imunização, pois, caso contrário, os efeitos que os vírus causam nas células são muito prejudiciais”, justificou o vestibulando de 17 anos. 
Mateus Rodrigues também aluno do ensino médio, aproveitou o dia livre de estudos para se vacinar. “Desde pequeno a minha avó sempre me conscientizou sobre a importância de tomar vacina”, conta. “Na campanha de setembro, assim como desta vez, preferi garantir a vacinação logo no primeiro dia, para não correr o risco de perder a oportunidade”, acrescenta.
A vacinação para as faixas etárias preconizadas pelo Ministério da Saúde, de 9 a 14 anos, prossegue normalmente nos postos de saúde do Estado.

Fonte:ORM

Compartilhe:

Deixe seu comentário